Home Dicas Investimentos seguros para fazer na pandemia

Investimentos seguros para fazer na pandemia

de Davidson R. Alves
Investimentos na pandemia

Como se sabe, hoje ouvimos muitas pessoas falando que fazer investimentos seguros pode e será positivo para você no futuro. Apesar disso, é certo que surgem dúvidas a respeito de quais são os melhores investimentos e quais as etapas necessárias para se iniciar boas aplicações. Como fazer investimentos seguros mesmo durante a pandemia?

Pensando em você, separamos formas de se iniciar investimentos seguros e uma dica do que fazer antes de aplicar o seu dinheiro. Se quiser ficar por dentro do que você pode fazer a partir de agora, continue lendo conteúdo que preparamos!

Planejamento do investimento

Antes de mais nada, assim como tudo na nossa vida, realizar investimentos também depende de planejamento para garantir o seu controle e manutenção. Para isso, uma das formas de se planejar é por colocar no papel (ou no aplicativo, planilha, etc… já que os tempos mudaram) todas as suas receitas e despesas no mês. Isso é crucial para avaliar o quanto você pode economizar com produtos ou serviços que talvez não use tanto quanto gostaria.

O planejamento também vai determinar o quanto você vai dispor para realizar seus investimentos. Com isso, talvez já seja possível para você iniciar com uma boa quantia ou talvez seja necessário fazer reduções de alguns custos e despesas antes de começar.

Reserva de emergência

“Tudo bem, fiz meu planejamento, sei quanto quero aplicar mensalmente e vi que tenho condições para isso. E agora?” Certamente o primeiro passo foi concluído, mas isso é só o começo. Antes de fazer aportes consideráveis, construa sua reserva de emergência para garantir sua estabilidade mesmo em caso de deseprego ou falta de renda. Para isso, o recomendado é reservar o equivalente a 12 meses da sua espectativa de renda mensal. Desse modo, ainda que fique sem emprego ou sem expectativa de reveita, poderá pensar com calma nos próximos passos para alcançar certa estabilidade.

Agora que calculou a sua reserva de emergência, não pense que ela ficará ‘mofando’ enquanto a inflação só aumenta. Sua reserva também pode ser aplicada em recursos com alta liquidez e resgate rápido. Um exemplo de aplidacões deste tipo são CDBs. Essa opção é encontrata nos bancos e tendem a ter o resgate até imediato. Para aplicações desse tipo, recomendamos bancos digitais. Além de não precisar sair de casa para a abertura de uma conta, sua grande maioria não tem taxas e juros, cobrados por bancos tradicionais.

Carteiras digitais como investimento

Outra opção, além dos CDBs é a utilização de carteiras digitais, ou fintechs. Essas carteiras muitas vezes têm serviços semelhante aos de muitos bancos e com taxa zero. Além disso, algumas delas possuem rendimento acima da polpança, podendo até superar os CDBs. Um exemplo de carteira digital com essa função é o PicPay e a Nubank, ambas com rendimento passivo sem taxas e acima da poupança. Contudo, é necessário tomar cuidado pois essas empresas, apear de grandes, não apresentam a garantia do FGC para seus usuários, apenas para elas mesmas.

Renda fixa com fundos imobiliários

Outra opção que apresenta segurança é o investimento em fundos. Essas aplicações podem ser feitas através de corretoras de investimento e/ou bancos. No mercado existem vários fundos que, inclusive, distribuem proventos mensais. Isso significa receber uma espécie de aluguel todo mês, sem precisar necessariamente ter o bem.

Apesar de ser uma boa opção, fundos podem ter variação no preço de suas cotas. Dessa forma, talvez não seja o local ideal para deixar rendendo sua reserva de emergência, mas sim um bom lugar para iniciar a valorização do seu capital depois de ter a reserva consolidada.

Consórcio

Apesar de não ser propriamente um investimento, realizar consórcios com um objetivo específico pode sim se tornar um investimento seguro e vantajoso. Como no caso dos fundos, é possível receber rendimentos mensais após se adquirir o bem, principalmente em casos de se usar o crédito na compra de um imóvel ou veículo.

Consórcio de imóvel

Certamente, “quem compra terra não erra”, mas quem compra o imóvel acabado também não erra. Não é de hoje que muitos sonham em receber renda passiva através de um aluguel ou de vários aluguéis. Com o consórcio é possível adquirir o imóvel e começar a alugar mesmo antes de se finalizar o pagamento da carta de crédito. Pode ser que o próprio aluguel seja suficiente para a finalização das parcelas restantes.

Consórcio de veículo

A pandemia mostrou que para muitos é mais vantajoso alugar um veículo do que comprar e ter que arcar com certas despesas. Por isso, abriu-se uma ampla porta para empresas e pessoas físicas que oferecem veículos para alugar.

Ainda assim, fazer um consórcio mesmo que não se busque um bem durável, é seguro e pode ser vantajoso para pessoas com o perfil mais conservador. O consorciado tem a segurança de que está em uma tividade regularizada pelo Banco Central e tem todo o suporte da administratoda do seu grupo de consórcio.

O que fazer agora?

Então, agora que você sabe que mesmo em pandemia existem formas de reservar capital e também de aplicar seu dinheiro, que tal fazer um pouco de todas elas? Dessa forma, quanto mais diversificar as suas opções, menor o risco sofrido em caso de uma delas não ser o que se esperava.

Assim, ficou interessado em realizar um consórcio? Pois então, saiba que Consorcios Digital não tem esse nome por acaso. Todo o processo desde o primeiro contato até a contemplação é realizado de forma segura e online. Leia sobre como o consórcio pode garantir os seus sonhos e realize uma cotação gratuita conosco!

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Open chat